Tempo para os filhos

Alguns pais não compreendem os filhos, e não se relacionam verdadeiramente com eles. Existe com freqüência grande separação entre pais e filhos. Caso penetrassem os pais mais plenamente no sentimento dos filhos e verificassem o que lhes está no coração, isso exerceria sobre eles uma influência benéfica. Pai e mãe devem trabalhar unidos, em plena simpatia mútua. Devem se tornar companheiros dos filhos. Os pais devem estudar a maneira melhor e mais bem-sucedida de ganhar o amor e a confiança dos filhos, a fim de poderem guiá-los no caminho direito. Devem refletir o sol do amor na família. As crianças gostam de ter companhia, e raramente se podem distrair sozinhas. Anseiam por simpatia e ternura. O que lhes dá prazer, elas crêem que também o dá à mãe; e é natural que a ela se dirijam com suas pequeninas alegrias e pesares. A mãe não deve ferir-lhes o coraçãozinho tratando com indiferença essas coisas que, embora insignificantes para ela, são de grande importância para as crianças. A simpatia e aprovação que ela lhes dispensa, são preciosas. Um olhar de aprovação e uma palavra de ânimo ou louvor serão como um raio de sol em seu coraçãozinho tornando-as, às vezes, felizes o dia inteiro.

Fonte: WHITE, Ellen G. Fundamentos do Lar Cristão. Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2006.